Anunciadas melhorias para o Hospital Bethesda

0
59

O presidente da Câmara de Vereadores de Joinville, vereador Odir Nunes confirmou, na tarde de ontem, a aprovação pelos demais parlamentares presentes na sessão ordinária dos Projetos de Leis nº 241/11 e 201/11, que autoriza o Executivo Municipal a celebrar convênios para o repasse de R$ 250 mil para o Hospital Bethesda, e acessão de um médico plantonista para dar cobertura de atendimento no Pronto Atendimento 24 horas (PA), do referido hospital, em Pirabeiraba. O diretor do Bethesda, Décio Krelling, disse que foi muito importante para esta conquista o empenho e o trabalho do vereador Odir Nunes, que destinou o dinheiro, fruto do plano de enconomia no legislativo e também reivindicou juntamente com a direção do hospital junto ao secretário da Saúde, Tarcísio Crócomo a celebração deste convênio entre a Secretaria Municipal de Saúde e o Hospital Bethesda.

A cessão do profissional deve-se ao fato de a referida casa de saúde atender cerca de 3.800 pacientes mensalmente,sendo que 40% deste volume são moradores dos bairros Vila Nova, Bom Retiro, Cubatão, Floresta, inclusive do Itinga que situa-se no lado extremo de Pirabeiraba. Krelling lembrou ainda que, a notícia da aprovação dos recursos na ordem de R$ 250 mil, destinado pelo presidente Odir Nunes, para a aquisição de equipamentos para os dois novos centros cirúrgicos do hospital é muito importante motivador. “Esperamos para o mês de novembro já estar iniciando em torno de 200 a 250 cirurgias de média complexidade nas especialidades de ginecologia, oftalmologia, varizes, hérnias e está em estudo pequenos procedimentos ortopédicos”, revelou o diretor.

Também será ativado o projeto para transformar o Bethesda, que hoje conta com 72 leitos, em Hospital de Retaguarda, com a disponibilização de 14 leitos para recuperação de pacientes que serão submetidos a cirurgias nos Hospitais São José e Regional. Com mais um médico para o PA 24 horas, a ativação dos centros cirúrgicos e do Hospital de Retaguarda no Bethesda será possível desafogar consideravelmente o movimento do São José e do Regional, analisa Décio Krelling.

Foto: Nilson Bastian