Cidadania discute famílias atingidas pela enchente

0
66

Famílias que tiveram suas casas atingidas pela enchente em 2008 procuram uma alternativa para adquirir novos da Cidadania, na tarde de hoje, que contou com a participação do secretário Municipal de Habitação, Alsione Gomes Oliveira Filho e a gerente regional de Construção Civil da Caixa imóveis. Hoje, são 96 famílias atendidas pelo auxílio moradia. Esse assunto foi discutido na comissão de Defesa Econômica Federal (CEF), Janine Worka. Para Oliveira Filho, há dificuldade para enquadrar essas famílias no Programa Minha Casa Minha Vida, que prioriza o primeiro imóvel.

“Por isso, uma solução seria buscar a troca desses terrenos atingidos pela enchente por terrenos que pertencem a Prefeitura”, esclareceu o secretário. A gerente da CEF, Janine Worka, explicou que famílias que receberam financiamento pela instituição não podem ter novo imóvel financiado. “Mas a caixa se coloca à disposição para negociar e procurar atender as famílias que se enquadrem nos requisitos da instituição”, avalia.

Diante das explicações os integrantes da Comissão de Cidadania irão procurar também outras formas para atender essas famílias, como um Termo de Ajuste de Conduta, para que os terrenos possam ser permutados entre atingidos e terrenos públicos. Para o presidente da Comissão, vereador Patrício Destro, além disso é preciso procurar o governo do Estado e também o Ministério da Integração Nacional. “No papel essas famílias possuem um imóvel, mas eles estão interditados, são inabitáveis, por isso esbarram na burocracia para conseguir o financiamento de um novo imóvel”, finaliza Destro. O assunto voltará a ser discutido na Comissão no dia 10 de novembro.

Além desse assunto, a Comissão de Defesa da Cidadania também discutiu a situação dos funcionários da Rodoviária, ameaçados de demissão, sendo que um deles já foi dispensado pela Conurb, que administra o local. Segundo os trabalhadores, seus empregos estão sob ameaça pois serão substituídos por softwares, instalados em maio de 2010, para fazer a locução. Também os fiscais estão ameaçados de demissão uma vez que, segundo eles, existe a intenção da Conurb em converter o equipamento público em uma autarquia. Por determinação do vereador Patrício Destro, hoje, dia 20, os integrantes da Comissão de Defesa de Cidadania, vereadores Maurício Peixer e Zilnete Nunes irão a Rodoviária para verificar as denuncias.

Foto: Sabrina Seibel