Comissão de Finanças discute recursos para a Saúde

0
59

A Comissão de Finanças da Câmara de Vereadores de Joinville reuniu-se, na tarde de hoje, para discutir o Projeto de Lei nº 179/2011 que autoriza o executivo municipal a abrir crédito suplementar no orçamento do Fundo Municipal de Saúde, no valor de R$ 4.261.843,00. Foram convidados para explicar eventuais dúvidas quanto a aplicação dos recursos, o secretário Municipal de Saúde Tarcísio Crocomo e o gerente administrativo Vilson Meyer. Do total, R$ 3.505.843,00 será dirigido para aquisição de móveis e equipamentos para rede básica de saúde e em reformas na secretaria. R$ 756 mil será para compra de veículos. Os 5.663 itens a serem adquiridos serão para atender as 57 unidades básicas de saúde, a Secretaria e outros setores.

O vereador Patrício Destro questionou os gastos em eletrônicos como DVDs e equipamentos de informática, e reforçou sua dúvida, “não será possível gastar menos do que está estipulado no projeto?” Presentes na comissão os vereadores, Belini Meurer, Joaquim Alves dos Santos, e o presidente Jucelio Girardi solicitaram ao secretário para que envie uma lista com todos os itens, valores e os locais onde os equipamentos serão instalados. Crocomo relatou que os valores e os equipamentos a serem adquiridos são baseados em dados e estudos do Ministério da Saúde (MS). Ainda assim, a comissão vai solicitar ao MS um esclarecimento do real valor dos produtos a serem comprados, uma vez que os valorers apresentados não se adequam ao mercado local.

Também os chefes e coordenadores das unidades básicas serão convocados para reunião da comissão para serem informados onde serão investidos os recursos anunciados. Na opinião dos vereadores um dos setores que deverá merecer atenção especial é a Unidade de Combate a Dengue que estaria enfrentando dificuldades, inclusive, para a manutenção das armadilhas para capturar amostras do aedes aegypti, mosquito transmissor da doença. O secretário comprometeu-se em se reunir com os agentes da unidade, na próxima semana para buscar alternativas para resolver o problema.

Foto: Sabrina Seibel