Comissão de Saúde aprova Projetos de Leis

0
71

Cinco Projetos de Leis (PL) de números 68, 69, 70, 71 e 72, todos deste ano e de origem do executivo municipal, que dispõe sobre convênios para repasses de recursos para associações que prestam serviços sociais como Amigos das Crianças do Lar Abdon Batista, Fraterna Arca da Aliança, Beneficente Renascer, Amigos dos Autistas e Associação Diocesana da Promoção Social Casa Dom Gregório (Adiprós), foram aprovados na Comissão de Saúde, Assistência e Previdência Social, na tarde de hoje. Também foram designados relatores para análise do mérito para 12 Projetos de Lei que dispõe sobre convênios os vereadores Tânia Eberhardt (PL números 76, 101, 104 e 108), Roberto Bisoni (PL números 77, 88, 103, 105 e 107), Adilson Mariano (PL números 78, 102 e 106). O presidente da comissão, vereador Adilson Mariano, informou que no dia 11 de maio, às 15 horas, será realizada uma reunião conjunta com a Comissão de Urbanismo para debater sobre o aproveitamento de areia de fundição para confecção de lajotas e “camas” para tubulação de esgoto sanitário, “recebemos uma informação que essa areia contém um produto químico conhecido por fenol que é cancerígeno, daí a necessidade de nos certificamos para, se realmente existir fundamento, evitar problemas futuros para a população”, disse Mariano.

Reclamação por melhor atendimento

O aposentado Adilson Lopes da Silva, morador no bairro Itaum, reivindicou à comissão para estudar uma forma das Agentes Comunitárias de Saúde (ACS) receberem capacitação para medirem a pressão e diabetes, principalmente de idosos que possuem dificuldades de locomoção até os postos de saúde, que muitas vezes ficam longe da casa de quem precisa. E o quadro se agrava ainda mais em dias de chuvas, disse o aposentado que reclamou ainda dos pontos facultativos quando os postinhos ficam fechados até quatro dias. Para a vereadora Tânia Eberhardt é extremamente lamentável o que acontece no Brasil onde existem dois pesos e duas medidas diferentes em termos de tratamento dispensado pelo Governo para o Sul e para o Norte/Nordeste. “Para nós alegam que não pode porque as ACS não possuem capacitação técnica para fazer esses serviços, já para o Norte/Nordeste pode”, explicou. Mas não descartou um estudo na busca de uma alternativa. Sobre o ponto facultativo, Tânia concordou com o aposentado e disse que, por interferência do Sindicato dos Servidores as ACS são beneficiadas pelo fato dos postinhos não atenderem casos de urgências e emergências e por este motivo não são obrigados a trabalhar nos feriados.{jcomments on}

Fotos: Sabrina Seibel