Emendas não foram atendidas pela Prefeitura

0
70

As emendas a lei orçamentária anual (LOA), sugeridas pelos vereadores, não saíram do papel. Nesta tarde, na reunião da comissão de Finanças, os vereadores cobraram da Prefeitura Municipal de Joinville (PMJ) as obras e serviços solicitados pela comunidade e apresentadas nas emendas.

O vereador Joaquim Alves dos Santos questionou sobre suas emendas que levariam asfalto a Vila Paranaense, área carente do bairro Comasa. O vereador cobrou o compromisso do Executivo que se comprometeu com a execução das obras. Joaquim ressaltou que em todo o ano de 2010, a PMJ realizou apenas 2 km de pavimentação asfáltica. O vereador Patrício Destro destacou suas três emendas. Nelas, Patrício sugere uma unidade básica de saúde no Willy Tilp, comunidade do bairro Nova Brasília, além de uma área de lazer no bairro Fátima e melhorias na comunidade Morro do Amaral, acanhada vila de pescadores.

O vereador Jucélio Girardi pontuou sobre a construção de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no bairro Vila Nova. O vereador também defende uma unidade básica de saúde no bairro. Para o vereador Maurício Peixer, o Executivo não deu atenção aos pedidos dos vereadores. Ele cita como exemplo, a promessa da PMJ para a construção de uma área de lazer no bairro Ademar Garcia. Segundo o vereador, os moradores nunca obtiveram retorno da Prefeitura. O vereador Belini defendeu a comunidade do bairro Morro do Meio e a manutenção dos serviços essenciais da Secretaria de Assistência Social.

Muitos pedidos rumaram para a situação da pavimentação asfáltica da cidade. A vereadora Zilnety Nunes foi dura em suas pontuações. Na visão da parlamentar falta organização e comunicação dentro da PMJ. Zilnety afirma ter conhecimento de ruas com a adesão dos moradores em dia e que não estão no cronograma de obras. O vereador Bisoni falou que falta iniciativa, que é preciso colocar a “mão na massa”. Os vereadores querem um cronograma que garanta que as ruas drenadas e com 75% de adesão receberam a pavimentação.

O Secretário da Secretaria de Planejamento (Seplan), Adelir Stolf e Valderi da Silva, da Secretaria de Infraestrutura Urbana (Seinfra), explanaram sobre a dificuldade do município em atender as demandas. Argumentaram que a inadimplência e a perda de convênio com o governo do Estado prejudicaram obras de infraestrutura. Adelir informou que 40% dos imóveis da cidade têm alguma irregularidade. O secretário garantiu que está sendo feito o possível para atender as demandas, mesmo com todas as dificuldades enfrentadas pela PMJ. Nenhum representante da Secretaria da Fazenda compareceu ao encontro. Participaram da comissão os vereadores Joaquim Alves dos Santos, Patrício Destro, Jucélio Girardi, Zilnety Nunes, Maurício Peixer, Belini Meurer, Tânia Eberhardt, José Cardozo, Roberto Bisoni e Lauro Kalfels.{jcomments on}

Foto: Sabrina Seibel