Emoção marca sessão solene de 46 anos da Univille

0
64

A sessão solene em comemoração aos 46 anos de fundação da Universidade da Região de Joinville – Univille, realizada na segunda-feira, dia 8, nas dependências do estabelecimento educacional, constitui-se num espetáculo memorável de reconhecimento de uma das principais instituições de ensino do Brasil. Autoridades e a comunidade escolar (docente e discente) acompanharam as homenagens e discursos que lembraram a construção e o desenvolvimento de uma entidade que ao longo deste período teve total envolvimento no engrandecimento, crescimento e no progresso da cidade, que abriga a universidade que transformou-se no terceiro maior pólo industrial do Sul do país, atrás apenas de Curitiba e Porto Alegre. O vereador Jucélio Girardi, um dos proponentes da comenda juntamente com seu colega, vereador Belini Meurer, fez sua homenagem e liderou o “parabéns” para marcar o aniversário da instituição homenageada. Meurer enalteceu a data destacando o papel de seus professores como sendo “fundamental” para o sucesso da universidade como fonte de valorização da categoria, alertando sobre a necessidade de melhor reconhecimento e apoio aos colegas. Ele lembrou que, há 20 anos é professor da Univille e que nesta condição, nunca deixará de contribuir com a educação, “pois continuarei sendo sempre professor”, afirmou.

O presidente do legislativo, vereador Odir Nunes destacou o ex-prefeito Nilson Bender, que em sua gestão de 1966 a 1970 dedicou atenção especial à educação criando a Fundação Joinvilense de Ensino (Fundaje), precursora da Fundação Educacional da Região de Joinville (FURJ), que há 15 anos é Univille. Nunes lembrou como obras de Bender, a Fundação Municipal Albano Schmidt (Centro Social do Itaum e Centro 15, escolas profissionalizantes), Fundação 25 de Julho (para atender a área agrícola), Casa da Cultura, Museu Sambaqui, Pavilhão da Expoville e Estação Rodoviária. “Já naquela época Bender previa que Joinville seria um pólo industrial, foi um visionário”, elogiou o parlamentar. Odir citou ainda a professora Mariléia Gastaldi Lopes que teve um papel primordial na transformação da universidade e no início da luta pela federalização da instituição, ainda não concluída. “Joinville deve muito a Univille, de onde já saíram pensadores, técnicos, bacharéis e profissionais que alavancaram a cidade rumo a novas tecnologias que levam o nome de Joinville ara todos os cantos do mundo”, reafirmou o parlamentar.

O idealizador da Univille, Nilson Bender iniciou seu discurso citando William Shakespeare como resposta as obras que fez quando prefeito: “o mal que o homem faz transcende a vida dele, o bem é enterrado com seus erros”. Depois de agradecer as homenagens, ele lembrou que o então projeto da universidade teria sido algo que iniciou há mais de 80 anos quando ainda era adolescente e levava “marmita” para seu pai que trabalhava numa serraria da família. Um dia o pai disse que ele iria estudar e foi o que aconteceu e a partir de então foi que Bender entendeu o valor da educação. O ex-prefeito lembrou ainda quando os professores tinham de vir e retornar, no mesmo dia, para Curitiba porque ainda não tinha professores suficientes para atender todos os cursos. O reitor Paulo Ivo Koentopp enalteceu que, a educação é a maior possibilidade de crescimento humano e depois de relacionar os cursos, os departamentos, laboratórios e serviços oferecidos pela universidade, lembrou do contingente de profissionais formados pela instituição como o maior patrimônio cultural, educacional e de valorização da sociedade. O reitor convidou a sociedade para participar da Semana da Comunidade que vai marcar a passagem de 15 anos da universidade e encerrou com um filme sobre a história do maior estabelecimento educacional joinvilense.

{loadposition 110808}

Fotos: Nilson Bastian