Jardim Iririú quer melhor atendimento na saúde

0
66

A precariedade no atendimento da saúde pública nos hospitais e unidades básicas de saúde, pontos perigosos no trânsito, falta de área de lazer e insegurança pública. Estes foram os principais problemas elencados por cerca de 50 moradores do bairro Jardim Iririú presentes na sessão especial da Câmara de Vereadores de Joinville, realizada no salão paroquial da igreja São João Batista, na noite de quarta-feira, dia 9. Participaram do evento o vereador proponente, Roberto Bisoni e o vereador Joaquim Alves dos Santos. A maior cobrança feita pelos moradores recaiu sobre a precariedade no atendimento na rede pública de saúde, onde ficou evidenciado que está na demanda reprimida de exames e cirurgias (onde estima-se que existam mais de 50 mil pessoas aguardando por algum tipo de procedimento com médicos especialistas), a maior preocupação da população.

Para se ter uma idéia, a dona de casa Isolete Tomazini, ocupou a tribuna para protestar o descaso da Secretaria Municipal de Saúde, para com sua mãe, Carmelina Maria Machado, de 92 anos, que ficou cega aguardando na fila, há três anos, para ser chamada para cirurgia. “Há dois meses estive lá e fui informada que ainda tem 45 pessoas na frente da minha mãe e que, deverá melhorar o atendimento com a entrada em funcionamento dos centros cirúrgicos do Hospital Bethesda, em Pirabeiraba, nos próximos dias”, relatou Isolete. Mas as reclamações se estendem ainda para a falta de capacidade de atendimento digno nos Hospitais São José, onde dezenas de pessoas recebem atendimento amontoadas nos corredores e no Regional, onde são constantes as faltas de médicos. Também o posto de saúde do bairro não escapou das críticas. De acordo com os moradores os atendimentos não são resolutivos e faltam médicos. A reclamação maior das pessoas é com a falta de perspectiva de melhoras para o setor, “chega-se a conclusão de que a saúde pública quer nos empurrar para a saúde privada”, disse o morador José da Silva.

Para o vereador Bisoni, a situação não era para estar desta forma, “principalmente se considerar que o médico contratado pela prefeitura que menos ganha tem salário de R$ 6 mil por mês”, relatou o parlamentar. Para João da Silva, da Associação de Moradores do bairro Jardim Iririú, os problemas são sempre os mesmos e todos já os conhecem. Ele questiona: “o quê está faltando para a sua solução?” Acredita João que, “seja através de maior mobilização da população que deve se organizar, através das associações de moradores, de classes, dos Conselhos de Saúde, da Câmara de Vereadores, das entidades representativas e organizadas para cobrar do gestor público, do prefeito, dos deputados, do governador, enfim de quem está no poder. Caso contrário será difícil ocorrerem mudanças”, prevê. Outra reivindicação do bairro é melhor sinalização em locais com maior probabilidade de ocorrerem acidentes como na esquina das ruas Areia Branca com Itambé e outras.

Para os moradores, existe uma área, considerada de preservação, que está se transformando na “cracolândia” do bairro e que poderia ser transformado num parque para uso da população, evitando que continua sendo ponto de venda e consumo de drogas e de insegurança. O vereador Roberto Bisoni disse aos presentes que todos os problemas apontados serão encaminhados ao prefeito através do legislativo.

{loadposition 111110}

Foto: Nilson Bastian