Semana da saúde mental tem mais uma edição

0
63

Iniciativa que visa promover a discussão sobre o tema, proporcionar intercâmbio entre usuários, familiares e profissionais da área, e contribuir para a inclusão social dos doentes é fruto de Projeto de Lei n° 123/2008, proposto pela Vereadora Tânia Eberhardt.

É com grande satisfação que a Vereadora Tânia Eberhardt vê sendo cumprida a Lei n° 6.246/2008, que institui a Semana Municipal da Conscientização e Orientação sobre a Saúde Mental. Em vigor desde julho de 2008, a proposta tem como objetivo sensibilizar a comunidade joinvilense, além de promover espaço para a discussão do tema, bem como as melhores formas de tratamento e alternativas para diminuir o preconceito contra os portadores da doença.

Oriunda do Projeto de Lei n° 123/2008, a Lei está amparada em dados contundentes a respeito da doença. Segundo estatísticas do Ministério da Saúde, 3% da população geral sofre com transtornos mentais severos e persistentes. Outros 6% apresentam transtornos psiquiátricos graves decorrentes do uso de álcool e outras drogas, enquanto 12% necessitam de algum atendimento em saúde mental, seja ele contínuo ou eventual.

“Anualmente, 2,3% do orçamento do Sistema Único de Saúde (SUS) são destinados à saúde mental, mostrando que o problema não é tão raro quanto se pensa. Ao invés de fingir que ele não existe, esta Lei propõe que se encontre a melhor forma de ajudar essas pessoas, especialmente no que tange à sua inclusão na sociedade e no mercado de trabalho”, ressalta a parlamentar peemedebista.

A organização das atividades, que serão realizadas de hoje até 21 de maio, fica a cargo da Comissão Municipal de Atenção Psicossocial, Grupo de Condução SUS-PIRE, Núcleo da Luta Antimanicomial Nise da Silveira, Associação Fêxix e Associação de Recuperação para o Trabalho (Repart). A realização é da Secretaria Municipal de Saúde.

Tânia ressalta, entretanto, que a programação é voltada para a comunidade em geral. “É importante que todos conheçam a situação para aprender a lidar melhor com casos de deficiência mental, e até mesmo para aprender sobre o assunto”, frisa.

Boa parte das ações – que envolvem palestras, exibição de filmes e posterior discussão dos temas – ocorre na Casa da Cultura. Mas haverá ações gratuitas e abertas à participação da comunidade no Centreventos Cau Hansen, na Câmara de Vereadores, no Mercado Municipal e no Serviços Organizados de Inclusão Social (Sois), localizado na Rua Aracaju, 1.368.{jcomments on}

Redigiu: Priscilla Milnitz – Gabinete da Vereadora Tânia Eberhardt