Vereadores tentam liberar os R$ 40 milhões

0
71

Os integrantes da comissão especial de vereadores de Joinville que atuam numa verdadeira campanha para a liberação dos R$ 40 milhões do BNDES para a realização de obras de infraestrutura na cidade foram informados de que pode não ser mais o valor desejado, até então, e sim R$ 60 milhões. Isso porque o valor inicial era fruto de orçamento de 2006, sendo necessário um reajuste e aditamento. Os parlamentares joinvilenses cumpriram agenda hoje em Florianópolis. Pela manhã, a primeira reunião foi na Assembléia Legislativa com o deputado Darci de Matos. Em seguida o encontro foi com o secretário de Estado da Infraestrutura, Valdir Cobalchini. Participaram os vereadores Maurício Peixer, Belini Meurer, Patrício Destro, Jucelio Girardi e José Cardozo.

O presidente da Comissão, vereador Jucelio Girardi explicou como está o andamento dos trabalhos em busca da liberação desse recurso, “já temos o aval da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) para a liberação desse valor, agora estamos empenhados para agilizar esse processo junto ao Governo do Estado”, argumentou. O deputado estadual Darci de Matos, mostrou-se preocupado com a demora na liberação da verba. O valor de algumas obras podem ter sofrido alteração. “O que tenho de concreto é que para o governador Raimundo Colombo a liberação do dinheiro está praticamente resolvida”, explicou o parlamentar.

O secretário Cobalchini referendou a posição do parlamentar ao revelar que, todas as obras elencadas foram orçadas em 2006, portanto, há cinco anos, e por este motivo poderá apresentar diferença nos valores de cada projeto. Ele estima que a diferença poderá elevar o valor para R$ 60 milhões. O que se constituirá num sério problema para o Estado para conseguir uma adição nesse valor junto ao BNDES, “se constituirá num processo longo. Eu vou defender que essa diferença seja bancada pelo Governo do Estado. Se for somente os R$ 40 milhões teríamos que tirar uma obra e esse não é o desejo do Governo. Seria uma frustração muito grande para os joinvilenses”, avaliou o secretário. Sobre o binário do bairro Vila Nova a empresa vencedora da licitação foi a Infrasul, mas de acordo com Cobalchini, para dar início as obras é fundamental que a questão fundiária precisa estar totalmente regularizada. O presidente da comissão Jucelio Girardi afirmou que a prioridade será verificar essa situação junto a prefeitura, “como a desapropriação é fundamental precisamos acelerar esse processo”, confirmou o vereador.

Darci de Matos comentou que, a informação que possuía é que para o governador Raimundo Colombo a liberação dos R$ 40 milhões estava resolvida e citou como urgências as obras do binário do bairro Vila Nova, a elevação da rua Minas Gerais, nas imediações do rio Águas Vermelhas, no Morro do Meio. Maurício Peixer reforçou que a prioridade o binário do Vila Nova, onde a situação do trânsito nos horários de pico é caótica. Patrício Destro defendeu que, também o binário da rua Max Colin até a saída com a BR-101 não pode ser excluída da lista de prioridades. O Governo do Estado e prefeitura de Joinville entrarão com a contrapartida de R$ 12 milhões no valor estipulado de R$ 40 milhões. Na próxima segunda-feira está agendada nova reunião entre a comissão especial e o secretário de Estado da Fazenda, Nelson Serpa, em Florianópolis.

Foto: Frutuoso Oliveira/Divulgação