19 C
Joinville
terça-feira, 4 outubro 2022
spot_img

Comissão de Finanças

Está diretamente envolvida com os projetos de leis de ordem financeira. Os vereadores que a integram discutem o plano plurianual, a lei de diretrizes orçamentárias, a lei orçamentária, subvenções sociais, créditos adicionais suplementares, matérias de ordem tributárias municipal, entre outras do tipo.

Composição da Comissão de Finanças em 2022

Wilian Tonezi

Presidente

Vereador nascido em 23 de setembro de 1983. É morador do bairro Costa e Silva. É engenheiro civil. Está em seu primeiro mandato. Nas eleições de 2020, fez 1.787 votos.

Neto Petters

Secretário

Vereador nascido em 17 de agosto de 1986. É morador do bairro Santo Antônio. É contador. Está em seu primeiro mandato. Nas eleições de 2020, fez 2.523 votos.

Kiko do Restaurante

Membro

Vereador nascido em 27 de julho de 1959. É morador do bairro Espinheiros. É empresário. Está em seu primeiro mandato. Nas eleições de 2020, fez 2.915 votos.

Lucas Souza

Membro

Vereador nascido em 30 de dezembro de 1993. Morador do bairro Jarivatuba. É técnico em edificações. Está no primeiro mandato. Nas eleições de 2020, fez 2.311 votos.

Henrique Deckmann

Membro

Vereador nascido em 4 de dezembro de 1960. É morador do bairro Jardim Paraíso. É teólogo. Está em seu primeiro mandato. Nas eleições de 2020, fez 2.733 votos.

Agenda e contatos da Comissão de Finanças

Quartas-feiras, às 15h30

A Comissão de Finanças tem reuniões ordinárias em frequência semanal. O local usual das reuniões é o plenário, mas pode variar.

(47) 2101-3341 / (47) 2101-3236

Por meio destes números de telefones, você entra em contato com a secretaria e com a consultoria legislativa da Comissão de Finanças.

Competências da Comissão de Finanças

  • O plano plurianual;
  • As diretrizes orçamentárias;
  • A proposta orçamentária;
  • As proposições referentes a matérias tributárias, abertura de créditos adicionais, empréstimos públicos, bem como as que, direta ou indiretamente, alterem a despesa ou a receita do Município, acarretem responsabilidades ao erário municipal ou interessem ao crédito e ao patrimônio público municipal;
  • As proposições que fixem ou aumentem os vencimentos dos servidores e que fixem o subsídio do Prefeito, do Vice-Prefeito e dos Vereadores;
  • O parecer prévio do órgão competente sobre as contas da Administração Municipal, concluindo o seu parecer técnico por projeto de decreto legislativo, aprovando ou rejeitando as respectivas contas.
  • Também compete à Comissão de Finanças fazer a fiscalização e o controle dos atos do Poder Executivo, incluídos os da administração indireta. Por isso, ela pode:
  • Apreciar os atos passíveis de fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial do Município e das entidades da administração direta e indireta, quanto à legitimidade e economicidade referidos no art. 49 da Lei Orgânica do Município;
  • Avaliar o cumprimento das metas previstas no plano plurianual e a execução dos programas de governo;
  • Avaliar o cumprimento das metas previstas no plano plurianual e a execução dos programas de governo;
  • Acompanhar, junto ao Governo, os atos de regulamentação, velando por sua completa adequação;
  • Receber petições, reclamações, representações ou queixas de qualquer pessoa, relativas a atos ou omissões das autoridades sujeitas à competência fiscalizadora da comissão;
  • Acompanhar junto ao Poder Executivo Municipal a elaboração da proposta orçamentária, bem como a sua posterior execução;
  • Solicitar informações à administração direta e indireta, bem como requisitar documentos públicos necessários à elucidação do ato, objeto de fiscalização, por meio de requerimento escrito aprovado pelo Plenário;
  • Avaliar as contas dos administradores e demais responsáveis por dinheiro, bens e valores públicos da administração direta e indireta, notadamente quando houver indício de perda, extravio ou irregularidade de qualquer natureza que resulte prejuízo ao erário;
  • Providenciar a efetivação de perícias bem como solicitar ao Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina que realize inspeções ou auditorias de natureza contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial nas unidades administrativas do Município;
  • Promover a interação da Câmara de Vereadores com os órgãos do Poder Executivo Municipal, os quais, pela natureza de suas atividades, possam propiciar ou gerar dados de que necessita para o exercício da fiscalização e controle da execução orçamentária;
  • Promover a interação da Câmara de Vereadores com os órgãos do Poder Judiciário e do Ministério Público, os quais, pela natureza de suas atividades, possam propiciar ou gerar dados necessários ao exercício da fiscalização e controle da execução orçamentária;
  • Propor ao Plenário da Câmara de Vereadores as providências cabíveis em relação aos resultados da avaliação, inclusive quanto ao resultado das diligências realizadas pelo Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina.